Jogos, cantigas e cirandas

“Para a criança, o jogo é o trabalho, é o bem, é o dever, é o ideal de vida, é a última atmosfera na qual seu ser psicológico pode respirar e, consequentemente, pode agir”

Edward Claparéde, pedagogo suíço (1873 – 1940)

A brincadeira pode ser considerada uma linguagem. Freud já gostava de interpretar o comportamento infantil no brincar. No início do século XX, Melaine Klein e outros psicanalistas trabalharam com a ludoterapia e enxergaram nos jogos e brincadeiras a possibilidade de elaboração de sentimentos e vivências.

Do ponto de vista pedagógico, muitos dos jogos infantis são completos, uma vez que exercitam o corpo, a mente e também criam o espaço para a expressão espontânea do Ser.

Poesia, música e dança podem unir-se sintetizando elementos imprescindíveis ao desenvolvimento pessoal de cada criança.

O objetivo desta oficina é criar espaços para jogos, cantigas e cirandas, conhecidas desde o século XVII e que até hoje possibilitam o desenvolvimento das capacidades de percepção corporal, coordenação motora, domínio vocal, expressão espontânea de sentimentos  e o respeito pelo outro no ambiente lúdico.

Público alvo: Crianças entre 2 e 6 anos. Divididas em grupos de 2-3 e 4 a 6 anos.

Carga horária: aproximadamente 20 horas, que sugiro serem divididas em encontros semanais de 1 hora ( 1 ou 2X por semana).